Arquivo da categoria: ENEL Florianópolis 2012

Moção de Repúdio dos Estudantes do Rio de Janeiro

A Regional Sudeste, composta por representantes de seus estados (Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo e São Paulo) vem, através desta moção, repudiar o preconceito cometido por alguns encontristas do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras contra as delegações do Rio de Janeiro.

Durante o encontro, alguns estudantes sofreram preconceitos tais como racismo, machismo, homofobia, linguístico, entre outros. Esta moção recebe atenção especial ao estudante Jefferson, que teve seus pertences revistados pela polícia do campus da UFSC, numa atitude considerada racista pelos encontristas de sua delegação.

Esta moção também repudia todos os outros preconceitos e opressões contra qualquer encontrista e estudante participante do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras.

Moção de repúdio aprovada na plenária estadual do Rio de Janeiro e na Plenária da Regional Sudeste

Anúncios

Moção de Repúdio – UFRJ

A delegação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, presente no XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras, vem, através desta moção, repudiar o ato cometido pelo membro da comissão organizadora do evento e Executivo Nacional de Movimentos Sociais (gestão 2011-2012) Luiz Henrique Flores.

Durante o encontro, a estudante e encontrista Graziele Monteiro, ao dirigir-se ao membro da comissão organizadora já mencionado para reclamar sobre a segurança nos alojamentos, foi agredida verbalmente e fisicamente pelo mesmo, que havia torcido seu braço na ocasião.

Por considerar a atitude desrespeitosa e covarde, a delegação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, pede que a plenária final do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras aprove esta moção como forma de protesto contra toda e qualquer violência que ocorra durante os encontros de estudantes.

Moção de repúdio aprovada na plenária final do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras

Nota da ExNEL e da Comissão Organizadora do XIII EGEL – Encontro Goiano dos Estudantes de Letras

A Executiva Nacional dos Estudantes de Letras e a Comissão Organizadora do XIII EGEL vêm a publico se desculpar pelo(s) erro(s) gramatical, ortográfico, semântico, sintático e/ou qualquer tipo de erro de ordem linguística que possa vir a ser encontrado em seu blog. Ressaltamos que estamos em formação e em constante aprendizado, porém as críticas recebidas por meio deste não nos serão úteis se tiverem a intenção, apenas, de ridicularizar e desqualificar os/as integrantes desta Comissão Organizadora.

Frases como “é um assombro literal”, “festival de pérolas gramaticais” depreciam o trabalho dos/das estudantes que voluntariamente se dispuseram a organizar este Encontro.  Muitos de nós tem se dedicado diuturnamente a construção do Encontro Goiano, e apesar de ter muitos de seus afazeres pessoais protelados ou momentos de lazer abdicados, não nos arrependemos de estarmos comprometid@s com esta construção, por acreditar verdadeiramente que este fórum é um espaço necessário para que conjuntamente mudemos a realidade do movimento estudantil de letras no nosso Estado, além de proporcionar um espaço onde tod@s possam apresentar/assistir trabalhos e pesquisas, o que pra muit@s é um pontapé inicial para as primeiras publicações.

As críticas deferidas neste espaço, em tom de escárnio, trouxeram desânimo à Comissão Organizadora que pede aos colegas participantes do grupo que usem esse espaço para interagir e sempre que precisarem também para dúvidas e sugestões. Estamos abertos para receber críticas sim, mas que sejam estas feitas de forma camarada e construtiva.

Julgamos que o mais importante é a informação trazida por este cartaz: Durante o EGEL 2012 haverá um grupo de discussão na sala 202, que trará como tema: “Greve nas Federais, o que temos a ver com isso?” Tema bastante discutido no nosso último encontro nacional o que nos rendeu, inclusive, um belíssimo ato que pôs estudantes de diversos lugares do Brasil nas ruas de Florianópolis respondendo publicamente que nós estudantes de letras e profissionais da educação, temos tudo a ver com o assunto.

A ExNEL tem como bandeira de luta a variação linguística, se coloca contra qualquer forma de opressão e lhe convida para construir um Movimento Estudantil transformador, combativo e livre de preconceitos.

Precisamos de vocês para construir o melhor EGEL de todos os tempos!

Executiva Nacional dos Estudantes de Letras

Executiva Nacional dos Estudantes de Letras – Regional Centro-Oeste

Comissão Organizadora do XIII EGEL – Encontro Goiano dos Estudantes de Letras

Moção de repúdio – UnB

O Centro Acadêmico de Letras da Universidade de Brasília, vem por meio desta, repudiar o ato homofóbico cometido pelo encontrista Jéferson, conhecido como Preto, da delegação da UERJ.

Na noite de terça-feira, 24 de julho, durante a festa, esse encontrista, que não é estudante de Letras, agrediu com tapas, sem motivo algum, um integrante da delegação da UnB.

Por fim, pedimos que a plenária final do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras proíba que esse estudante seja credenciado e que participe de outros encontros de Letras.

Moção de repúdio aprovada na plenária final do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras

Florianópolis, 28 de julho de 2012

Proposta de nota de repúdio à PEC215

Proposta de nota de repúdio à PEC215

Como uma espécie de complemento à aprovação do novo Código Ambiental, que acarretará a médio e a longo prazo, nefastos danos aos biomas de nosso país, a bancada ruralista do Congresso, capitaneada pela senadora Katia Abreu (PDS/TO), representantes da corrente mais reacionária do cenário político brasileiro, empenhada na manutenção das injustiças e desigualdades sociais, elaborou e pretende aprovar a Proposta de Emenda Constitucional nº 215 (PEC215).
Dentre outros pontos, essa medida prevê a tranferência da competência de demarcação dos territórios indígenas e quilombolas, atualmente desempenhada pelo Poder Executivo, por meio da Fundação Nacional do Índio (FUNAI), para o âmbito do Poder Legislativo. Além disso, as terras já demarcadas poderão ser submetidas a processos de revisão, levando à diminuição de suas áreas, muitas vezes tão exíguas que não proporcionam condições suficientes para a reprodução física e cultural dos povos tradicionais.
O caráter do projeto possui graves implicações éticas, pois caso a emenda seja aprovada e entre em vigor, os (as) legisladores (as) ligados (as) ao latifúndio estarão, na verdade, legislando em causa própria, visando unicamente a manutenão da concentração de renda e ao exterminio dos povos originários e remanescentes dos quilombos.
Tormando em consideração os fatos acima expostos, sugerimos que seja elaborada uma nota de repúdio à PEC215, dado o seu conteúdo de claro ataque aos direitos das populações tradicionais e um imenso retrocesso nas conquistas obtidas pelas lutas dos movimentos sociais à época da promulgação da Constituição de 1988.

Proposta aprovada na Plenária Final do XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras
Florianópolis, 28 de julho de 2012

Moção de Apoio – UFPel

Moção de Apoio

Os estudantes de Letras de todo o país, reunidos no XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras, aprovam a moção de apoio à comunidade universitária da Universidade Federal de Pelotas (UFPel), no sentido de que o Conselho Universitário da UFPel respeite e homologue o resultado do processo de consulta visando a eleição do Reitor.

Florianópolis, 28 de julho de 2012

Moção de repúdio – UNIFESP

Moção de repúdio à violência policial ao Movimento Estudantil da UNIFESP Guarulhos

Contra os processos políticos e sindicância aos estudantes

Defesa do direito de greve e liberdade de manifestação

Nós, estudantes, presentes no XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras, vimos por meio desta moção repudiar a ação violenta da Polícia Militar contra a luta política dos estudantes da UNIFESP Guarulhos no dia 14 de junho. Entendemos a greve estudantil iniciada em 22 de março como legítima, e as reivindicações de infraestrutura e permanência estudantil como necessárias para garantir o acesso à universidade pública.

A PM em 14 de junho tinha um acordo com a UNIFESP para reprimir os manifestantes que lutam em defesa do ensino público. Este acordo e a invasão policial ferem a autonomia universitária com a ingerência direta da força física do Estado para interferir nas questões da Universidade.

Expressamos também nosso apoio à greve estudantil da Escola de Filosofia Letras e Ciências Humanas, que compõe a greve nacional das universidades federais. Exigimos o fim dos processos políticos e sindicâncias contra os estudantes. O reitor Walter Manna Albertoni declarou em reportagem ao Jornal Folha de SP e em reunião que punirá os discentes. Esta postura é contrária aos direitos de liberdade de pensamento e manifestação dentro da universidade.

Florianópolis/SC, 28 de julho de 2012

Petição online pelo fim dos processos

Moção contra ação da PM no país

Nós, estudantes de Letras de todo o Brasil, reunidos no XXXIII Encontro Nacional dos Estudantes de Letras (ENEL), manifestamos nosso total repúdio às ações da Polícia Militar do estado de São Paulo, que invade os campi das universidade para criminalizar e reprimir violentamente o Movimento Estudantil.

Reiteramos, assim, nosso total apoio à luta de todos aqueles que se manifestam contra o sucateamento e a privatização do ensino em todos os seus níveis.

Por uma educação pública e de qualidade para todos! Não à repressão dos movimentos sociais! Contra a presença da Polícia Militar em universidades, favelas e bairros em todo o país!

Moção apresentada pelos estudantes da USP e aprovada no XXXIII ENEL

Florianópolis/SC, 28 de julho de 2012